9/20/2015

PÍLULAS DE POESIA




1. O segredo (do poeta) é a arma do negócio (poético). “Trouxeste a chave?”, perguntaria o vate mineiro.

2. Os poemas à amada, o poeta faz é pra ele mesmo, porque, desde as cantigas de amor, eles (os poemas) de nada valeram, pois elas (as amadas) não ligaram lhufas para poesia.

3. Sousândrade, quando fez o "Inferno de Wall Street", não anteviu as transas de Watergate.

4. A pedra no caminho corresponde à montanha bíblica. Hoje a pedra ainda está no caminho e a montanha é apenas uma hipérbole.

5. Quanto maior o poeta (de uma escola literária) maior é o tombo (na escola seguinte).

6. A turris eburnea de que falavam os parnasianos se resume hoje a uma modesta torre de tv, para que os poetas sintonizem a máxima poundiana de que “os poetas são as antenas da raça”.

7. Quanto mais brilho tiver a metáfora, maiores méritos terá o lustrador de tropos.

8. O poeta não é um nefelibata, mas um aeronauta do improvável.

9. Na estrada de Sintra, Fernando Pessoa e Sá Carneiro entoaram os primeiros falsetes musicais: ui! ai! ui! ui!

10. Atirar pedras na vidraça de CDA não é mais revolucionário do que fritar bolinhos, não é, garotões de 45?

11. Para realizar a educação pela pedra precisa-se começar como engenheiro da pedra do sono. No final, todos serão cães sem plumas.

12. O poeta que resolver tomar cicuta, como o velho sábio grego, é porque não tem medo de certas rimas raras...

13. Os Rolling Stones foram os únicos artistas que conseguiram realmente remover a pedra do caminho. Rolling... rolling... stones...

(texto do autor, refundido do original publicado no SLMG de 9.8.1975)

2 comentários:

Glória Barroso disse...

Sensacional JB. Um abraço G

Joaquim Branco disse...

Obrigado, Glória. Grande abraço, jb