6/23/2015

HISTÓRIA DE CATAGUASES - Capítulo do livro "O Município de Cataguases"




CAPÍTULO XXII - fragmento

Quarto e quinto triênios - 1901-1907
Sete anos de administração coronel Joaquim Gomes de Araújo Porto
ATOS PRINCIPAIS

[Em 1906] Foi reformada e consolidada toda a legislação municipal; da consolidação tendo se incumbido o dr. Astolpho Vieira de Rezende, residente no Rio de Janeiro.
Um dos serviços mais notáveis desses 7 anos foi a organização do arquivo, levada a efeito em 1901 pelo presidente da Câmara, dr. Astolpho Vieira de Rezende.

Eis como ele descrevia essa repartição em mensagem de 3 de abril daquele ano: “O Arquivo Municipal encontra-se no mais deplorável baralhamento; não é um arquivo, é uma porção de prateleiras recheadas de embrulhos, onde toda a busca é materialmente impossível.
A administração sente a necessidade de recorrer a papéis guardados, quer para se instruir sobre os negócios públicos, quer para satisfazer a requisições particulares, e luta com dificuldades quase insuperáveis”.

A Câmara autorizou o Agente Executivo a pôr em ordem o arquivo e a expedir o respectivo regulamento, o que fez o dr. Rezende com o dec. nº 48, de 9 de maio do mesmo ano.

A mesma lei criou, sob inspiração do dr. Astolpho Rezende, a Biblioteca Municipal, a respeito da qual escrevia o seguinte o Oficial da Secretaria, no Relatório relativo ao ano de 1904: “A Biblioteca Municipal, fundada em 1901, no governo interino do dr. Astolpho Vieira de Rezende, tem se enriquecido progressivamente com donativos e aquisições: entre aqueles é de justiça mencionar os da Biblioteca Laminense, fundada em um distrito do município de Queluz pelo sr. Napoleão Reis, e os do dr. Francisco Antonio de Sales, ilustre Presidente do Estado. Conta a nossa Biblioteca cerca de mil volumes entre eles a coleção completa das leis do Brasil, desde 1808, estando todos os volumes devidamente catalogados. (70) Recebe também diversos jornais de diferentes pontos do país”.

No relatório do ano seguinte, acrescentou que a Biblioteca fora enriquecida com a aquisição do Dicionário Larousse, que custou 275$, e que o sr. Napoleão Reis continuava a fazer valiosos donativos. Em janeiro de 1907, consignava que a Biblioteca já dispunha de l.300 volumes, devidamente catalogados.

6/06/2015

Grupo Totem - Literatura de Cataguases 1960/70



O Grupo de literatura denominado Totem iniciou suas atividades em Cataguases em 1961, através do jornal O Muro, do qual saíram 11 números.
Houve pequeno interesse público sobre o jornal, pois ali apareciam trabalhos ligados às vanguardas da época.
Eram textos da mesma linha da Poesia Concreta, movimento que se iniciara poucos anos antes.em São Paulo e no Rio de Janeiro.
Os principais participantes desse jornal eram: Ronaldo Werneck, Carlos Sérgio Bittencourt, Joaquim e Aquiles Branco, P. J. Ribeiro e Plínio Guilherme Filho.
A segunda fase veio em 1968 com a edição do “SLD – Suplemento Literatura Difusão”, que saía como suplemento do jornal Cataguases, e que foi lançado junto com a I Exposição de Poesia Concreta de Cataguases.
Aos integrantes anteriores, juntaram-se outros: Sebastião Carvalho, Ivan Rocha, Adolfo Paulino, Dayse Lacerda, Fernando Abritta, José Lucas Ferraz, Lecy Delfim Vieira e Arabela Amarante.
O SLD teve 9 números, o último em 1969. Nesse ano, a equipe organizou o I Festival de Música Popular de Cataguases. No ano seguinte, foi alterado o nome para FAC - Festival Audiovisual de Cataguases, englobando música popular e poesia de vanguarda.
A terceira fase surgiu em 1975 com o jornal Totem, editado inicialmente no Centro Acadêmico Francisco Inácio Peixoto, da FIC, e dirigido por Joaquim Branco, Márcia Carrano e P. J. Ribeiro. Aos participantes iniciais do grupo, juntou-se Márcia Carrano.
Nessa fase foi grande a influência do Poema-Processo e da Arte Postal, permitindo ao grupo participar de muitas exposições de poemas no Brasil e no exterior.


Na entrada do Colégio Cataguases.





Fernando Abritta, integrante do jornal em vários números.








No aniversário de 70 anos de Francisco Inácio em sua residência (1979) e lançamento de um dos números do suplemento "Totem".





1º número do suplemento Totem em forma de jornal.


1º FAC - Festival Audiovisual de Cataguases, vanguarda musical poética na região.



Lecy Delfim Vieira, participante do grupo.







Cidade partida, de P.J.Ribeiro


Tio Sam, John, Son & Co., de Ronaldo Werneck.


Musa 1, de Fernando Abritta.




Teagonia - Plínio Guilherme Filho.











Fragmento do livro de minipoemas "Vento Leve",
de Márcia Carrano:

todas as mortes
me pesam
num dia qualquer
sem aviso.
(p. 47)