6/23/2015

HISTÓRIA DE CATAGUASES - Capítulo do livro "O Município de Cataguases"




CAPÍTULO XXII - fragmento

Quarto e quinto triênios - 1901-1907
Sete anos de administração coronel Joaquim Gomes de Araújo Porto
ATOS PRINCIPAIS

[Em 1906] Foi reformada e consolidada toda a legislação municipal; da consolidação tendo se incumbido o dr. Astolpho Vieira de Rezende, residente no Rio de Janeiro.
Um dos serviços mais notáveis desses 7 anos foi a organização do arquivo, levada a efeito em 1901 pelo presidente da Câmara, dr. Astolpho Vieira de Rezende.

Eis como ele descrevia essa repartição em mensagem de 3 de abril daquele ano: “O Arquivo Municipal encontra-se no mais deplorável baralhamento; não é um arquivo, é uma porção de prateleiras recheadas de embrulhos, onde toda a busca é materialmente impossível.
A administração sente a necessidade de recorrer a papéis guardados, quer para se instruir sobre os negócios públicos, quer para satisfazer a requisições particulares, e luta com dificuldades quase insuperáveis”.

A Câmara autorizou o Agente Executivo a pôr em ordem o arquivo e a expedir o respectivo regulamento, o que fez o dr. Rezende com o dec. nº 48, de 9 de maio do mesmo ano.

A mesma lei criou, sob inspiração do dr. Astolpho Rezende, a Biblioteca Municipal, a respeito da qual escrevia o seguinte o Oficial da Secretaria, no Relatório relativo ao ano de 1904: “A Biblioteca Municipal, fundada em 1901, no governo interino do dr. Astolpho Vieira de Rezende, tem se enriquecido progressivamente com donativos e aquisições: entre aqueles é de justiça mencionar os da Biblioteca Laminense, fundada em um distrito do município de Queluz pelo sr. Napoleão Reis, e os do dr. Francisco Antonio de Sales, ilustre Presidente do Estado. Conta a nossa Biblioteca cerca de mil volumes entre eles a coleção completa das leis do Brasil, desde 1808, estando todos os volumes devidamente catalogados. (70) Recebe também diversos jornais de diferentes pontos do país”.

No relatório do ano seguinte, acrescentou que a Biblioteca fora enriquecida com a aquisição do Dicionário Larousse, que custou 275$, e que o sr. Napoleão Reis continuava a fazer valiosos donativos. Em janeiro de 1907, consignava que a Biblioteca já dispunha de l.300 volumes, devidamente catalogados.

3 comentários:

Edir Vassalo Ramos Vidal disse...

Parabéns, Joaquim! Só uma pessoa capacitada e arrojada como vocë pra fazer um trabalho desse nível! Forte abraço!

Joaquim Branco disse...

Obrigado, Edir. Realmente é um trabalhão o que tive para botar de pé o livro, que é uma obra digna da história da cidade.

Ligia Dias Prezotto disse...

Joaquim, estou em busca de um livro que tem o titulo de "Historias de Cataguases". Nao sei qual ano foi publicado. Mas estou em busca de uma das arvores genealogicas que foi publicada nesse livro. No caso seria a arvore da familia Souza Dias. Por algum acaso voce saberia mais inforçoes a respeito desse livro? Voce sabe aonde eu consegueria adquirir uma copia? Obrigada desde ja, Ligia.